<< Entrada

Mais cidadania! Mais democracia!

6 de Agosto, 2009

Seria interessante que a Câmara Municipal de Coruche seguisse o exemplo de outras autarquias e promovesse iniciativas do tipo “Orçamento/Plano Participativo”, através das quais os habitantes do concelho pudessem apresentar propostas a incluir nesses documentos em formulários on-line, de modo estimular a cidadania participativa, envolvendo os cidadãos.

Mas não, a autarquia de Coruche, pelo contrário, vem aprovando estes documentos (menosprezando esses ou outros instrumentos inovadores) em sessões privadas, sem acesso do público, demonstrando uma evidente falta de condições e de sensibilidade para promover uma efectiva participação de cidadania.

Hoje todos se socorrem das TICs para ajudar na sua eleição e fazem-se fotografar tendo os computadores como primeiro plano. No entanto, poucos são aqueles que utilizam esses meios e os promovem depois da eleição, de modo a reforçar a relação entre eleitos e eleitores, combater a infoexclusão e simplificar a vida aos seus concidadãos.
Pedir contributos e participação para os Programas Eleitorais e depois de se ser eleito, durante os mandatos, descurar essa forma participação, demonstra  bem que não bate a bota com a perdigota.
A infoexclusão define uma nova forma de exclusão, em que as dificuldades de acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) aumentam entre determinadas camadas da população. O conhecimento das novas tecnologias assume, em si mesmo, uma nova forma de inclusão social, e que se tornou imprescindível na adaptação à sociedade sob diferentes formas.
Se analisarmos o que se passa ao nível do e-Government Local, verificamos que o uso da Internet no Município de Coruche ainda se restringe, em grande parte, a uma “modernização conservadora” e muitas das medidas já tomadas ainda são direccionadas para o seu funcionamento interno, não abertas à comunidade, com um receio evidente de que se alterem as relações de poder. São ainda bastante incipientes as iniciativas que permitem uma efectiva intervenção dos cidadãos na sua gestão e é bastante baixo o nível de interactividade.
Têm sido muitas as Sugestões que o TICMAIS tem feito neste domínio ao longo dos últimos 3 anos, algumas muito fáceis de implementar, mas em vão.
Já lá vão praticamente 3 anos desde que o TICMAIS iniciou este projecto com uma ‘Carta Aberta à Câmara Municipal de Coruche’ e os seus ‘Fundamentos‘. Têm sido muitas as notícias, propostas, sugestões e os exemplos de boas práticas que temos apresentado e desenvolvido, algumas muito fáceis de implementar, mas o eco tem sido muito pouco.
É pena!
1ª versão escrita em 2008.12.19
Notícias relacionadas:
Carta aberta à Câmara Municipal de Coruche
Coruche precisa de uma política pública de inclusão digital e de banda larga a preços estreitos
A  C. M. de Coruche e o e-Government (Governo Electrónico)
Para quando a 2ª e 3ª fases do projecto “Lezíria em Rede”?
E quando as palavras já foram todas gastas e a paciência escasseia?!
O computador ‘Magalhães’ e o ‘Cabo das Tormentas’
A Internet em Coruche teima em não melhorar
ticMAIS – a sociedade do conhecimento e os movimentos de cidadania
C. M. de Coruche continua a apostar pouco na área das TIC
Sugestões da Semana (Todas)

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,